COLUNA

Reflexões

Marcelo A. Reis

A Intervenção Federal (militar) no Rio, a crise nacional e o Temer

Do jeito que vai, caminhamos para uma ruptura e estas costumam ser extremamente dolorosas

24 JUL 2017 Marcelo A. Reis 08h00min

Caro leitor ;

Nas conflitos , internos ou externos , ao invadir , ocupar uma área ,imediatamente é implantada uma Administração Militar para organizar os Serviços Públicos , assegurando o primado da Lei e da Ordem .Foi assim no Japão, na Alemanha e nas demais áreas liberadas ao final da II Guerra . É o caso do Rio de Janeiro . Colapso total dos serviços públicos ; existem áreas em que o "poder paralelo" , subsidiário é o Estado .Quem manda , determina , controla o Direito de Ir e Vir , cobra "impostos" sobre as atividades econômicas e ,até, dirime contenciosos familiares e/ou de vizinhança é o "Movimento" (Tráfico) , a " Milícia " e grupos marginais assemelhados . Ainda por estes dias , noticiavam os jornais do Rio que,em  uma determinada comunidade, o tráfico definia as prioridades de atendimento médicos na UPA local.

Não podemos nos enganar . O caos veio em um constante crescimento e agora não há espaço / tempo para meias medidas.

Há que decretar - se a Intervenção Federal no Estado , com a nomeação de um Oficial General como Interventor, e o controle total das atividades básicas ,a começar pelas da Segurança , pela equipe dele . Não há porque que se esperar . O esfacelamento é generalizado . Não adianta tampar o sol com a peneira . Como se diz no popular , na gíria copiada das gangues : "tá tudo dominado !" Os elos entre diversos eleitos e as Milicias e o Tráfico são muito fortes . Como diversos políticos conseguem se eleger, e bem , sem nada de politicamente significativo terem feito? Porque existem determinadas áreas em que somente alguns conseguem entrar e sair? Porque traficantes e milicianos protegem tais elementos? De graça é que não é ! Há toda uma grande e complexa articulação entre todos os níveis de criminalidade e de atividade política . Em suma são uma única coisa. Tal ocorre em todo o Brasil . O Estado do Rio é a ponta do Iceberg . A crise é nacional ; abrange todos os estados. 

O país se desintegra , vive a pior , a mais grave crise de nossa História ,a miséria bate em todas as portas , exceto na dos Mandarins que sofregamente saqueiam os cofres públicos;o insignificante "temer" (sempre em minusculo !) e seus asseclas  compram o Parlamento com recursos públicos , o Brasil perde, todos os dias, a sua relevância e a sua credibilidade internacional .O (des) governico temer acabou , os atuais presidentes do senado e da câmara NÃO tem relevância moral,ética e política para ocupar a suprema magistratura da nação Definitivamente não possuem.

Volto a insistir na necessidade , mais do que urgente,na formação de um Governo de União Nacional , presidido por algum "De Gaulle brasileiro" (civil ou militar) com representantes de todos os segmentos políticos relevantes (SEM EXCEÇÃO) para coordenar / comandar uma ampla e séria reforma politico/eleitoral e presidir Eleições Gerais em 2018 . O momento é tão grave quanto o foi ,em 1940, para a França a invasão nazista . Estamos sem lideranças sérias , criveis , a quadrilha no Poder acelera,mais e mais, o saque , o Patrimônio Público , já tão pilhado , ou melhor o que dele resta vai sendo entregue na bacia das almas............... " ,"Vendidos" e trombeteados como novos investimentos! "Não existem rumos , metas , objetivos nacionais traçados . Existe aquela velha coisa da "farinha pouca meu pirão primeiro....."

Vive - se de remendos , de cerzidos de qualidade ruim , feito por costureiras/alfaiates  sem qualificação e que os fazem com o intuito de salvar - lhes os privilégios , as regalias e benesses.

Não dá mais...

Do jeito que vai, caminhamos para uma ruptura e estas costumam ser extremamente dolorosas.

Até a próxima

nando viana

Deixe seu Comentário

Leia Também

erro medico