COLUNA

Decifrando

Marco Santos

As balas perdidas do Dr Michel

A segurança pública no país faliu!

16 FEV 2018 Marco Santo 05h30min


A quebra consentida da ordem pública nacional, que todo ano acontece, neste carnaval de 2018, serviu para comprovar o que quase todo mundo sabe é um ministro de Estado afirmou, recentemente:

A segurança pública no país faliu!

A bem da verdade, não somente a segurança pública, mas outras atividades essenciais estão na mesma situação.

O governo federal que até agora só tem discurso para a reforma da previdência, exumou o cadáver de criar o ministério da segunda pública, enterrado tantas outras vezes quando a criminalidade e a violência aumentam.

Parece que o Dr Michel, quando quer resolver um problema, cria outros que não pode controlar.

Sim, porque com 28 ministérios a situação está neste pé, caótica em vários segmentos da administração,  com mais um feudo partidário para distribuir entre a "base aliada" fica fácil entender que a tendência é ficar ainda pior.

A Segurança Pública precisa é de política e ações que encaminhem soluções.

Todo o aparato legal e operacional necessário já existe.

Precisa é de pessoas  capazes de administra-lo.

Em poucas linhas, é necessário:

Primeiro, mostrar a sociedade que a Lei é para todos.

Assumir o controle do sistema prisional, hoje nas mãos do crime organizado.

Prestigiar legal, moral, operacional e  financeiramentemente as polícias federal, rodoviária federal e estaduais, retirando as das partilhas político - partidárias que as transformaram em organismos ineficientes.

Por para funcionar ministérios como o das cidades, direitos humanos, cultura, casa civil para que restabeleçam no que lhes cabe a ordem pública, visivelmente invertida nos últimos 30 anos.

Pactuar com Justiça que presos por crimes violentos e criminosos contumazes são para ficarem presos e não nas ruas como acontece.
Restituir ao cidadão o direito de se defender com os meios necessário a fazer cessar a ameaça.

Esclarecer a sociedade, sem hipocrisias, e, juntamente com a Justiça, responsabilizar os usuários de drogas, razão maior para a situação criminal em que o Brasil se encontra e para a existência das poderosas facções pré mafiosas que já controlam prisões e grandes  áreas nas cidades.

Prestigiar os órgãos de Inteligência nacionais, militares,  policiais e de Estado, fazendo valer o aparato legal e operacional ja previsto no SISBIN, SISP, SISPEN etc. Dar autonomia e recursos aos órgãos de Inteligência Financeira, COAF, Receita Federal e Banco Central.

Fazer chegar as  minguadas verbas orçamentárias destinadas às operações de segurança de acordo com as ameaças identificadas e não por critérios de conveniência política - partidária.

Combater a corrupção com efetividade em todos níveis e segmentos da administração pública, sem sofismas e ações para "salvar" aliados. Não existe crime organizado sem participação de agentes do Estado.

Parece impossível, muitos dirão. 

Mas, é o que a sociedade brasileira espera e tem direito.

Discursos a esmo, sem respaldo na realidade que o Brasil vivencia, são como as " balas perdidas" que quase sempre encontram alguém inocente. Somente o dano é maior pois atinge a toda a coletividade.

Não podemos desistir do Brasil!

Marco Santos
Cel do EB, empresário e Professor.

Deixe seu Comentário

Leia Também