COLUNA

Pelos Cotovelos

Vinícius Squinelo

Item ‘fashion’ usado por Puccinelli e Olarte, tornozeleira pode ser cobrada de presos em MS

Valor do dispositivo varia entre R$ 240 e R$ 600 por mês

31 AGO 2017 Diana Christie e Liziane Berrocal 00h00min

Na ‘moda’ entre políticos, a tornozeleira que foi usada pelo ex-governador André Puccinelli (PMDB) e ainda está em uso pelo ex-prefeito Gilmar Olarte (Sem Partido) pode ser cobrada pelo Governo do Estado. A proposta é do deputado Coronel David (PSC), que apresentou projeto de lei sobre o pagamento de aparelhos de monitoramento eletrônico pelos próprios presos ou apenados em Mato Grosso do Sul.

Mixaria

De acordo com o CNJ (Conselho Nacional de Justiça), o valor do dispositivo varia entre R$ 240 e R$ 600 por mês. Já o custo para manter o detento no Sistema Penitenciário é de R$ 1,8 mil mensalmente, “Nesse momento de grande crise financeira há dificuldade de compra para todos os que possuem esse direito por lei”, diz o deputado.

Justiça levou...

Proposta semelhante já tramita no Congresso Nacional e, se aprovada, deve reduzir os custos com os presos em Mato Grosso do Sul. Apesar disso, presos que não tiverem condições de pagar continuarão tendo o benefício financiado pelo Estado. Difícil mesmo vai ser aguentar o ‘mimimi’ de milionário afirmando que não tem como bancar o ‘dispositivo de luxo’ porque está com os bens bloqueados...

Bafafá

O decreto que proíbe manifestações no Parque dos Poderes deu o que falar na sessão legislativa desta quarta-feira (30). Para o deputado Pedro Kemp (PT), o governo está com medo dos eleitores. “Eu só posso acreditar que esse decreto foi pensado por alguma mente brilhante depois do acampamento dos policiais civis fizeram em frente à Governadoria”.

Comparativo

Paulo Siufi (PMDB) foi ainda além e disse que o texto é ‘fascista’, aproveitando para exaltar o líder do próprio partido. “Se procurador se manifestar hoje é 5 Uferms. A Casa Legislativa não pode ter mais manifestações porque é Parque dos Poderes. Truculento era o meu governador, dr. André, e esse não? Não ‘tô’ entendendo o que eles querem”, alfinetou. Só não vamos lembrar de certo vídeo de um ex-governador aí que questionou servidor por servidor qual candidato iria votar, não é mesmo?

Lado mais fraco

Os servidores concursados do Detran/MS (Departamento Estadual de Trânsito) foram trabalhar de preto ontem, em ‘luto’ pela imagem da instituição. É que a alta cúpula se envolve em falcatruas, vai presa e são os funcionários, que efetivamente fazem o órgão funcionar, que ficam com a má fama. Triste realidade em diversas repartições públicas do país!

Deixe seu Comentário

Leia Também

erro medico