COLUNA

Pelos Cotovelos

Redação TopMídiaNews

Petistas preparam protestos na Capital e caravana para acompanhar julgamento de Lula

A data já está se tornando um verdadeiro evento, reunindo milhares de pessoas de todo o Brasil

6 JAN 2018 Diana Christie, Airton Raes, Liziane Berrocal e Vinícius Squinelo 00h00min

O PT de Campo Grande prepara caravana para Porto Alegre, no dia 24 de janeiro, para o julgamento do ex-presidente Lula pelo TRF4 (Tribunal Regional Eleitoral da Quarta Região). A data já está se tornando um verdadeiro evento, reunindo milhares de pessoas de todo o Brasil. O prefeito de Porto Alegre, inclusive, solicitou ao presidente Michel Temer (MDB) reforço do Exército.

Por aqui

Até a viagem, militantes do PT vão realizar diversas atividades em Campo Grande como sarais, roda de conversa, atos públicos em frente a justiça eleitoral e emissora de TV, panfletagens e criação de Comitês Populares.

Fechado

Em reforma, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul contratou empresa no valor de R$ 79,9 mil para instalação do balcão da recepção, rampa de acessibilidade do plenarinho e guarda­corpos do plenário do prédio.

Off-line

E não é apenas o prédio do parlamento estadual que está fechado para reformas. O sistema eletrônico de divulgação dos projetos e proposições da Assembleia Legislativa está fora do ar durante o recesso parlamentar, impossibilitando o acesso de informações.

Em vigor

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) sancionou a lei que institui o “Programa Maria da Penha vai à Escola” e a Campanha Agosto Lilás. O objetivo é sensibilizar a sociedade sobre a violência doméstica e familiar contra a mulher e divulgar a Lei Maria da Penha.  A campanha prevê a realização de ações de mobilização, palestras, debates, encontros, panfletagens, eventos e seminários para o público em geral.

Padrão

Também entrou em vigor lei que permite à prefeitura divulgar vídeos em postos de saúde para orientar os pacientes sobre como funciona o sistema de saúde, qual rede de saúde procurar, quais as doenças mais recorrentes nas unidades, demonstrar qual critério é estabelecido para determinar os casos de urgência/emergência, promover campanhas educativas e ainda esclarecer quais são as linhas de cuidados existentes. Vídeos já elaborados pelo Ministério da Saúde também poderão ser usados. Ideia é semelhante ao que ocorre nas redes particulares, como hospitais da Cassems.

Deixe seu Comentário

Leia Também