COLUNA

Pelos Cotovelos

Vinícius Squinelo

Polícia Federal caminha para fechar delações sem autorização e causa terror em MS

Só de pensar em tal possibilidade, já tem político em Mato Grosso do Sul se tremendo de medo

22 AGO 2017 Diana Christie e Vinícius Squinelo 00h00min

A Polícia Federal caminha para ter a liberdade de fechar delações premiadas sem a permissão ou sequer acompanhamento do Ministério Público Federal. A mudança está nas mãos do Supremo Tribunal Federal, que pode julgar o caso a qualquer momento. Só de pensar em tal possibilidade, já tem político em Mato Grosso do Sul se tremendo de medo.

Como é 
Hoje, uma delação premiada só pode ser firmada pelo MPF, que autoriza então a PF a interrogar e investigar fatos levantados por um possível delator. A Procuradoria-Geral da República, comandada por Rodrigo Janot, bate o pé e não quer que isso mude.

Como pode ficar
Repousa na mesa do ministro do STF Edson Fachin possibilidade de autorizar a Polícia Federal a pactuar delações premiadas sem acompanhamento do Ministério Público. Isso liberaria, só pra citar um exemplo, a delação dos marqueteiros Duda Mendonça e Marcos Valério. Delegados garantem que a medida reduziria tempo, além de bloquear ‘possíveis interesses’ do MPF.

O terror em MS
Só de ouvir falar dessa possível mudança tem gente tremendo em Mato Grosso do Sul. Isso porque, só no âmbito da Lama Asfáltica, pelo menos duas delações premiadas seriam agilizadas. Uma delas, inclusive, travou na Procuradoria do MPF no Estado. Mas, se fosse só depender da Polícia Federal, ixi, a chapa tava bem mais quente...

Quem avisa...
Mesmo com alguns entraves, a Lama Asfáltica já prepara o seu bote. Fica a dica.

Alpinistas políticos
‘Racha’ em uma das maiores categorias do funcionalismo público estadual foi visível na última sexta-feira, durante assembleia geral de entidade de classe. Pequeno grupo que prega ‘união’, mas que recentemente fundou nova associação e aumentou ainda mais a cisão na classe, tentou ‘causar’ durante mudança de estatuto. A bronca foi por motivo óbvio: a alteração impediria o grupinho de tentar concorrer à presidência também dessa entidade, que possui maior patrimônio.

Má-fé?
A boa vontade desse grupo em unir a classe levanta dúvidas, principalmente pelo fato de eles gravarem toda a assembleia. Até mesmo um mal-entendido na entrada da assembleia foi motivo para sensacionalismo: uma não-associada quis entrar, foi informada que não poderia votar na assembleia, mas mesmo assim o entrevero foi devidamente registrado pela trupe e, logo em seguida, espalhado em grupos de WhatsApp. Só para causar.

Democracia?
Alegando que defendem a 'democracia', esses grupos querem mesmo é poder. Eles são especialistas na criação de grupelhos e associações menores, apenas para forçar a entrada em entidades que realmente importam. Assim, acham que ganham poder. No fim, só prejudicam a classe que representam...

HMEDIC

Deixe seu Comentário

Leia Também

fabio trad