COLUNA

Pelos Cotovelos

Redação TopMídiaNews

Você aprova? Adjunta de Saúde sugere tirar guardas municipais de escolas para reforçar UPAs

Secretária sugeriu fazer um ‘oito’: ‘Do lado de cada escola sempre tem um posto de saúde’, disparou

10 JAN 2018 Diana Christie e Airton Raes 22h00min

(Foto: Divulgação/PMCG)

Durante inauguração da ampliação de um Caps (Centro de Atenção Psicossocial) em Campo Grande, a secretária-adjunta de Saúde, Andressa de Lucca Bento, pediu para o secretário municipal da Segurança Pública, Valério Azambuja, que aumentasse o número de guardas municipais nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) da cidade. Valério disse que não era possível e sugeriu que tirassem guardas da UBSFs (Unidades Básicas de Saúde da Família) para as UPAs.

Tapa aqui, descobre ali

Foi lembrado que não dava para tirar, pois as pesquisas mostram que a população quer ver guardas municipais nas UBSFs. Andressa não aprovou a ideia e disse, em tom de brincadeira: “Então tira das Escolas. É mais fácil. Do lado de cada escola sempre tem um posto de saúde. Eles ficam fazendo um oito”, disparou. 

Esforço

Com o risco de perder R$ 9 milhões do Governo Federal para a Saúde da Família, Andressa fez corpo a corpo com os secretários Valério Azambuja e Evandro Ferreira de Viana Bandeira para que conversassem com o secretário de Finanças, Pedro Pedrossian Neto, para que liberasse os recursos. Pedrossian não quer liberar o convênio com medo de prejudicar o limite prudencial do município.

Na caixinha

O MPE (Ministério Público Estadual) arquivou, nesta quarta-feira (10), mais um inquérito civil que investigou o ex-prefeito Alcides Bernal (PP). Neste caso, a Câmara Municipal havia denunciado o pepista por possível improbidade administrativa decorrente de contratação de empréstimo sem aprovação dos vereadores.

Deu ruim

A APAE de Sidrolândia passou por grande turbulência no início da semana, após descobrir que um funcionário desviou cerca de R$ 20 mil da instituição filantrópica, dinheiro arrecadado através de festas e eventos realizados de forma solidária. Por questões jurídicas, Glauciomar Oliveira da Silva e a esposa não foram demitidos, porém foram afastados dos cargos até que o problema seja apurado.

Só a superfície

Segundo o presidente da APAE, Glaucio Eidi Hisatsugu, outras irregularidades também serão apuradas. Em entrevista ao jornal Sidrolândia News, ele apresentou cheques de terceiros, um deles do ano de 2015, no valor de R$ 10 mil, que estavam nos arquivos da instituição, não sabendo dizer de que forma ou porque esses cheques foram parar lá.

Deixe seu Comentário

Leia Também