Prefeitura ignora repercussão negativa e mantém fechamento de posto: 'maioria não utiliza o SAE'

Para Gerente de Governo, prefeitura está pagando para 'vizinho usar ar-condicionado' enquanto município 'passa calor'

12 SET 2017Bruna Vasconcelos16h01min
Lucarelli causou repercussão negativa após depoimentos nas redes sociaisFoto: Luiz Maique

A reestruturação do Serviço de Atenção Especializada (SAE) que atende Aquidauana e municípios vizinhos há 24 anos não agradou os moradores do estado. Mesmo com a revolta nas redes sociais, o gerente de Governo, Wezer Lucarelli, é enfático ao afirmar que a população não está incomodada com a mudança.

Na última semana, o secretário de Saúde, Eduardo Moraes, afirmou que a partir do dia 25 deste mês o SAE deve fechar as portas e os pacientes de Aquidauana serão atendidos no Centro De Especialidades Médicas (CEM). Os assistidos de outras regiões como Miranda, Nioaque, Bodoquena e Anastácio deverão ficar sob responsabilidade de cada município. Atualmente, o Serviço atende cerca de 300 pessoas com doenças infectoparasitórias, em especial a AIDS.

Uma chuva de comentários negativos brotou nas redes sociais após o anúncio extra-oficial. Pacientes e moradores de todo o Estado questionaram a “falta de humanização” de Lucarelli, que afirmou em uma publicação que, com a nova decisão, Aquidauana não será mais explorada pelos outros municípios. O gerente de Governo ainda afirmou que seria ilógico que a prefeitura se preocupasse com os pacientes dos outros municípios.

A advogada P. A. diz que não entende como a Secretaria de Saúde vai negar o atendimento aos pacientes que se tratam no local há anos. Conforme relatos, o SAE realiza tratamento em pessoas de 7 a 80 anos de idade. “Eles lutam cada dia para sobreviver e não sabem quanto tempo têm de vida. Negar o atendimento só porque a pessoa não mora no município é desumano.”

Wezer Lucarelli não compartilha deste pensamento. Em conversa com o TopMidiaNews, ele afirma que como Estado não vai mais financiar a regionalização do Serviço é preciso mudar a política de atendimento. Quando questionado sobre a revolta da comunidade com a mudança, ele responde que os moradores de Aquidauana não opinam sobre a mudança.

“Eles (pacientes) já estão avisados. Se eu partir do princípio que tenho que me humanizar seria como você consumir 30 reais de luz, passando calor, e o seu vizinho no ar-condicionado com você pagando a conta de luz dele. A população de Aquidauana não está revoltada com a mudança porque a maioria não utiliza o SAE”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

erro medico