Dia do Fico: Simone admite sair do MDB, mas deve esperar até setembro

Senadora disse que fica na sigla até setembro, mês que o partido escolhe nova direção

9 FEV 2019Celso Bejarano11h00min
A senadora Simone TebetFoto: André de Abreu

A senadora Simone Tebet disse que fica no MDB até setembro, mês que a sigla define o comando nacional do partido, hoje sob a chefia do senador Romero Jucá, de Roraima. 

A intenção da sul-mato-grossense é de se afastar de vez do grupo liderado por Renan Calheiros, seu rival na disputa pelo comando Senado e com quem tem trocado farpas por meio de declarações publicadas na imprensa nacional. 

A saída de Simone do MDB tem sido especulada há duas semanas, desde a reta final que definiu Calheiros como escolhido do partido para concorrer à presidência do Senado. Simone quis disputar o cargo, mas a intenção foi rechaçada numa disputa apertada; 7 senadores quiseram Calheiros candidato; 5 votaram na senadora. A partir daí, Simone tem feito duras críticas ao colega, que representaria o que ela classifica como "a velha política".

“Precisamos resgatar a nossa história”, disse a senadora ao TopMidiaNews, nesta sexta-feira (8), na cerimônia de posse do secretário especial do Governo, o ex-senador Pedro Chaves (PRB), em Campo Grande.

Simone disse que deixaria o MDB, seu único partido, em situação extrema, contudo, a ideia não fora descartada. “Se ele [Renan] continuar no comando, saio. Mas vou lutar para que isso não aconteça”, afirmou a senadora que sugeriu o nome do senador Jarbas Vasconcelos, do Pernambuco, como seu candidato preferido à presidência do MDB nacional.

Renan Calheiros, senador do estado de Alagoas, tem forte influência entre os emedebistas desde a década de 1990. Ele já presidiu o Senado por quatro vezes.

Deixe seu Comentário

Leia Também