EXPERIMENTAL: testes com bactéria que promete combater mosquito da dengue começam em Campo Grande

Ministro anunciou que pesquisa será colocada em prática na Capital e mais dois municípios brasileiros

15 ABR 2019Dany Nascimento11h08min
Foto: Dany Nascimento

O ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta anunciou, nesta segunda-feira (15), o início dos testes com uma pequena bactéria para combater a proliferação do mosquito Aedes Aegypti em Campo Grande.

"Haviam duas linhas [para o combate], uma calcada no controle da proliferação do mosquito com inseticidas e outra tese, do controle biológico. Essa é uma pequena bactéria que, quando se ocupa em determinado vetores, insetos, impede que vírus se ligue naquele local. Ela é utilizada muito nas frutas”, explica.

De acordo com o ministro, que participou do evento "Atualização em Manejo Clínico da dengue e febre do Chikungunya e no controle vetorial do Aedes Aegypti", realizado pela Secretaria de Estado de Saúde, por meio da Escola de Saúde Pública de Mato Grosso do Sul, a bactéria não atinge o ser humano.

“O pesquisador brasileiro teve iniciativa de pegar ela e colocar no local onde o vírus se liga, como ela é inerte para o ser humano, ela vai se multiplicando no meio ambiente e se impondo ao mosquito. Isso vai transformando gradativamente, não precisa usar inseticida, passou bem pela parte teórica, ensaio clínico em laboratório e agora chegamos em cidades acima de 500 mil habitantes. Hoje anunciamos essa fase da estratégia para Campo Grande, Belo Horizonte e Petrolina. Devemos realizar em outras cidades posteriormente, isso envolve trabalho e entomologistas, começamos com número pequeno, vamos vendo, envolve agentes comunitários”.

Questionado sobre o investimento por parte do Ministério da Saúde, Mandetta afirma que abraçou a causa e espera que essa nova fase impetrada em três cidades, consiga concluir com sucesso o estudo para ser colocado em prática. “O Ministério financiou toda a pesquisa, é mais uma continuidade, esperamos concluir a pesquisa nessa fase e fazer estratégia nacional. Ainda somos um projeto de pesquisa”, enfatizou.

Apesar disso, o ministro alerta que a prevenção continua sendo a melhor estratégia de combate ao mosquito. “Temos que deixar claro que estratégia da dengue continua sendo responsabilidade de todo mundo", ressalta.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Top Comunicaçao