Tarifa especial pode diminuir conta de energia em MS; só 73 consumidores adotaram

Modalidade recente leva em conta hábitos de consumo, mas muita gente nem sabe que pode ser beneficiada

15 MAR 2019Amanda Amaral15h00min
Foto: Procon/Ilustração

Você já ouviu falar na Tarifa Branca? Em vigor há pouco mais de um ano, a medida pode ser vantajosa para boa parcela dos consumidores de energia elétrica em Mato Grosso do Sul, mas apenas 73 optaram pela tabela especial, conforme a Energisa.

A Tarifa Branca funciona como um incentivo para que alguns consumidores desloquem o consumo dos períodos de ponta para aqueles em que a rede de distribuição de energia elétrica tem capacidade adicional de atendimento, ou seja, quando o consumo é menor. Isso reduz a necessidade de investimentos adicionais no sistema e contribuindo para a modicidade das tarifas.

No último balanço, de fevereiro de 2019, 11 unidades consumidoras residenciais, 56 comerciais, duas rurais e quatro de serviço público utilizavam o tipo de tarifa. Em janeiro, havia uma unidade a mais do tipo comercial.

O valor da tarifa vai variar de acordo com três horários. Ponta, que é o horário de pico na demanda; intermediário, compreendendo intervalos antes ou depois do horário de ponta; e fora de ponta, período de menor consumo de energia.

(Reprodução/Energisa)

Nos dois primeiros, a energia é mais cara em função da maior demanda. Já no último é mais barata. Na prática, no horário de ponta, a tarifa é cinco vezes maior do que fora de ponta e, no intermediário, é três vezes maior. Nos finais de semana e feriados, apenas a tarifa fora de ponta é aplicada.

Vale a pena?

O cliente deve fazer, inicialmente, uma análise criteriosa para avaliar se a mudança vale ou não a pena de acordo com a sua rotina. É importante identificar o perfil de consumo ao longo do dia e a diferença de preço entre a Tarifa Branca e a convencional. Isso porque este modelo não se encaixa nos hábitos de uso da energia de todos os perfis de consumidores.

Deixe seu Comentário

Leia Também