Sem deixar a tradição morrer, 'Noite Pantaneira' mostra orgulho de Mato Grosso do Sul

Comidas típicas, decoração temática e muita animação, são apenas alguns pontos da festa que já é referencia no turismo sul-mato-grossense

21 AGO 2017Anna Gomes16h25min
Foto: Divulgação

Com a intenção de não deixar a cultura do estado morrer, a Pousada Pioneiro, localizada na BR-262, no município de Miranda realiza a ‘Noite Pantaneira’. Comidas típicas, decoração temática e muita animação, são apenas alguns pontos da festa que já é referencia em atrativo turístico.

Tudo começou quando o casal José Moreira e Terezinha Moreira  resolveu 'arregaçar as mangas' e montar um restaurante próximo à rodovia há mais de três décadas. Local onde hoje é realizado verdadeiras homenagens ao estilo de ser sul-mato-grossense e pantaneiro.

Eles tiveram três filhos. Depois de muito esforço, eles conseguiram oferecer estudos para todos e cada um teve seu caminho a seguir. Com o passar dos anos, o casal não tinha a mesma facilidade para manter o comércio, mas uma das filhas, Cristina Moreira sempre gostou de ver como a família trabalhava e sem temer tomou partido de tudo, conseguindo expandir ainda mais os negócios dos pais.

 

“No decorrer do tempo, cada foi vendo qual era a sua vocação, mas eu amo tudo isso, o que poderia ser um peso para eles, para mim nunca foi. Sou pedagoga por formação, mas cuidar disso aqui foi muito natural para mim”, lembra.

A intenção é de não deixar a cultura do Estado morrer. Assim nasceu a Pousada Pioneiro, localizada na BR-262, no município de Miranda, que realiza a ‘Noite Pantaneira’. Comidas típicas, decoração temática e muita animação, são apenas alguns pontos da festa que já é referencia no turismo sul-mato-grossense.

Noite Pantaneira

A frente dos negócios há 12 anos, o que era apenas um restaurante expandiu e muito. Com o passar do tempo, ela abriu uma loja de artesanatos, uma operadora de turismo e uma pousada.

(Equipe que organiza a festa)

“Comecei a perceber que os turistas que se hospedavam não tinham nada para fazer no período noturno. Durante uma dessas noites, resolvi colocar uma música ao vivo e chamar um pantaneiro para conversar com as pessoas que ali estavam hospedadas. A intenção era para ele comentar como era nossa cultura aqui do Estado”, destacou.

De música ao vivo para uma enorme festa temática

A ideia da festa deu tão certo que de música ao vivo, acabou se tornando uma enorme reunião onde a cultura do pantanal é reverenciada e lembrada em cada detalhe. Hoje em dia, a pousada realiza de três a quatro noites pantaneiras por mês.

Com o objetivo de expandir a cultura local, Cristina leva para a festa comidas típicas e pessoas que realmente passam o dia a dia no pantanal.

“A festa acontece há seis anos e estou muito orgulhosa por conseguir realizá-la. Quando vamos para outros locais do país vemos a cultura local, um exemplo é ir até o Rio Grande do Sul, lá vemos danças típicas e aqui não tínhamos isso. O turista vai para as fazendas conseguem ver os bichos, mas a cultura, a informação de como o homem pantaneiro vive e como ele gosta de viver, eles não tinham essa noção e agora com essa festa da pelo menos conseguimos passar um pouco do que nós vivemos todos os dias”, ressaltou.

(A festa também abre espaço para a arte indígena)

No local, além de muita comida, danças e música, o turista também conseguem manter contato diretamente com a cultura indígena, já que índios levam seus trabalhos e conseguem expor durante a festa. 

Quem se interessou pela Noite Pantaneira e preetende conhece-la, basta entrar em contato com a própria Cristina, pelo telefone: (67) 9-9986-1716

Veja o vídeo que mostra um pouquinho da 'festança'

 

Deixe seu Comentário

Leia Também