VÍDEO: assassinada em ‘tribunal do crime’ prometia ‘rasgar’ Comando Vermelho se o PCC a perdoasse

A vítima passou por sessões de espancamento e populares a encontraram numa estrada vicinal

15 MAI 2019Da redação/Dourados News15h44min
Foto: Reprodução/Dourados News

Uma mulher, identificada como Rosimar Gomes de Souza Cruz, 27, a Medusa, assassinada na madrugada de sexta-feira passada (10) em Dourados após ser julgada pela facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), prometia ‘rasgar’ com o Comando Vermelho – grupo criminoso rival -, caso recebesse o ‘perdão’. 

Em vídeo, a vítima afirma ter sido batizada na facção que nasceu no Rio de Janeiro (RJ) em 2016, em Rondônia. Ela era foragida da Justiça daquele Estado e veio ao Mato Grosso do Sul buscar drogas para a facção rival. Nas imagens, Rosimar cita diversos apelidos de possíveis integrantes da facção que estão presos na PED (Penitenciária Estadual de Dourados) e que residem em Ponta Porã. Ela também relata suposta existência de armas em celas no presídio douradense. 

A vítima foi assassinada após passar pelo julgamento da facção rival. Ela passou por sessões de espancamento e populares a encontraram numa estrada vicinal na favelinha do bairro Estrela Verá com as mãos amarradas e uma corda no pescoço. Durante as investigações, a polícia prendeu Fernanda Thais de Queiroz, 28, e Talita Moreira Agueiro, 26, suspeitas de participação no assassinato. 

Segundo depoimento delas à polícia, Rosimar chegou a elas com intuito de comprar drogas e teria se passado por integrante da mesma facção a qual as autoras pertencem, mas logo em seguida descobriram que a vítima fazia parte de grupo rival.

Após o fato, as autoras teriam levado a vítima para um barraco próximo a mata no bairro Estrela Verá. No local e com apoio de outros membros da facção ainda não identificados, realizaram um “julgamento” onde ao final foi “decidido” pela morte da vítima. Ambas foram autuadas em flagrante por homicídio qualificado.

Deixe seu Comentário

Leia Também