Indicado por Giroto, Tabosa usa sindicato como trampolim para candidatura a vereador

Sindicalista coloca em risco as reivindicações da categoria pelo conflito de interesses com sua carreira política

15 ABR 2019Rodson Willyams e Diana Christie07h00min
Foto: Arquivo TopMidiaNews

Presidente do Sisem (Sindicato dos Servidores e Funcionários Municipais de Campo Grande), Marcos Cesar Malaquias Tabosa tenta alavancar uma carreira política, colocando em risco os interesses dos servidores municipais.

Filiado a partido escolhido a partir de indicação de condenado pela Justiça, ele ameaça a legitimidade de reivindicações da classe por causa do conflito de interesses entre o sindicato e as necessidades do partido político em que atua.

Em conversa com o TopMídiaNews, Tabosa declarou que deve definir, em setembro, se disputará uma das 29 vagas para vereador de Campo Grande em 2020. No entanto, pelas redes sociais, há até uma página com a hashtag #tabosavereador, que pode ser entendida como campanha antecipada pela Justiça Eleitoral.

Tabosa diz que na última eleição para vereador, ocorrida em 2016, disputou pelo PDT apenas como 'laboratório' para o futuro. "Fiz apenas uma campanha pelas redes sociais via Facebook e WhatsApp. Não fiz reunião e não tive cabos eleitorais. Não teve campanha boca a boca. E ainda assim tive 130 votos". Hoje, o sindicalista representa 10,5 mil filiados.

Na prestação de contas, Tabosa informou ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) ter recebido R$ 10.337,45 de para investir na campanha. Deste montante, R$ 7.812,45 foram doações de pessoas físicas, representando 75,57% dos recursos adquiridos. 

Giroto foi o primeiro condenado na Operação Lama Asfáltica - Foto: Wesley Ortiz/Arquivo

Ruptura com PDT

Em relação à saída do PDT, no ano passado, o próprio Tabosa admite - e se orgulha - de aceitar convite para integrar o PR do ex-secretário de Obras do Estado, Edson Giroto, preso e condenado no âmbito da Operação Lama Asfáltica, e do ex-secretário de Saúde de Campo Grande, Jamal Salem, investigado na Coffee Break. 

"A gente vai definir essa questão de vereança somente em setembro. Estamos avaliando junto com o PR a possibilidade de sair em 2020. Saí do PDT no ano passado e fui para o PR a convite do Jamal e do Giroto. Ainda tem muita água para rolar até lá", resume.

Deixe seu Comentário

Leia Também